DSC_7053-5.jpg
Bio de Lupita Amorim

Multiartista construindo reflexões neste Brasil como atriz, modelo, dançarina, poetisa e graduanda em Ciências Sociais na UFMT, utilizando o espaço acadêmico e artístico trazendo novos significados e possibilidades para a população preta e LGBTI+. Coordenadora do Coletivo Negro Universitário da UFMT e representante de estudantes negros e negras no Conselho de Política de Ações Afirmativas da PRAE/UFMT.

Para nós pessoas pretas a arte tem sido um espaço muito importante, sobretudo de resistência, pois por meio dela podemos falar de nossas vivências como elas são, imaginar como gostaríamos que fosse ou até mesmo denunciarmos situações de desigualdades, dentre outras possibilidades de representações artísticas ao qual tenho a honra de afirmar que fazemos isso com muita maestria, demonstrando nossa potência com nossa a manifestação de nossos desejos, vontades e expectativas diante de tantos assuntos, principalmente aquele que mais nos limita que é o racismo. Seja na poesia, música, artes visuais, dança, teatro ou outras formas de expressão artísticas a população preta brasileira tem evidenciado há muito tempo que a arte é esse espaço de resistência por não ter limitações em relação ao que podemos criar, registrando o que aconteceu ontem, construindo o hoje e projetando o amanhã através da arte conseguimos exercitar nossos talentos e potencialidades! Em Mato Grosso temos uma juventude negra disposta e comprometida em trazer em sua arte as urgências de nossa população para os tempos atuais e futuros, mas também falar de outros temas que não somente a violência que nos acomete diariamente. Feliz em fazer parte desse movimento!

Lupita Amorim.